quarta-feira, 19 de março de 2008

O terceiro noitão (e a primeira dormida)

Na primeira vez, a estética de Gus de Vant me conquistou, o filme que mais esperávamos foi uma decepção e parece que só eu gostei do sessão surpresa.

Em fevereiro, apesar de incomodar e abordar um tema bastante delicado, XXY foi um pouco chato; La Comunidad também não foi grande coisa e o aguardado Sweeney Todd, apesar de ser bom, foi aquém das nossas expectativas.

Talvez por isso não estávamos muito preocupados com os filmes que assistiríamos naquela madrugada. O que mais importava era o passeio em si. Mesmo assim, já sabia que o tema era "Sexo, drogas e Rock'n'Roll" e que passaria "Smiley Face" e "Partículas Elementares", embora não soubesse nada sobre nenhum dos dois.

Entramos na fila do HSBC já um pouco tarde, dez e meia, mais ou menos (e não vou dizer que a culpa foi minha). Ainda faltavam Mike, Marquinhus e Lívia se juntarem ao grupo. Esperamo-los até às onze e quinze, quando a última citada finalmente chegou.

Partimos para O Pedaço da Pizza cantando "love makes the world go round" alegremente. Só que a pizzaria é muito longe, já eram onze e meia... é, acabamos na porcaria do Mc Donalds.

Chegamos atrasados na sessão. Ok, o filme ainda não havia começado, mas é difícil encontrar oito lugares juntos disponíveis quando a sala está quase cheia. Mas a segunda fileira não era, afinal, um lugar tão ruim assim.

É impossível não rir quando Anna Faris é a atriz principal. Talvez a história da atriz doidona que tem de pagar seu fornecedor, fazer um teste, pagar a conta de luz, cozinhar os bolinhos de seu colega de quarto e salvar sua preciosa cama não tivesse tanta graça se não fosse Faris. Mas seu talento para comédia (lembram-se de "Todo Mundo em Pânico) transforma "Smiley Face" em um filme que vale a pena. Os flashbacks e o imaginário de Jane dão um tempero a mais.

Eram duas da manhã quando conseguimos pegar um lugar melhor (a sessão tinha acabado e todo mundo estava fora da sala, na fila do banheiro ou do café). Não sabia a quantas andava o treino da Austrália, e ligar para alguém - a primeira pessoa que me veio na cabeça foi o Betto - podia acarretar em ser muito xingada.

O próximo da lista seria o filme-surpresa. Alta Fidelidade foi o escolhido, um enredo com muitos top five e rock/pop. Foi o melhor da noite, com toda certeza. Jack Black não podia faltar, é óbvio, mas é o charmoso John Cusack quem dita o ritmo. E como não bastasse, ainda conta com a participação de Bruce Springsteen as himself. Fodaço!

Quando tudo parecia estar fluindo bem, eis que ele surge: Partículas Elementares. Não recomendo pra ninguém. A história do cara com tendências ninfomaníacas é até interessente, mas quando segue para seu irmão, não dá. É chato. E as cenas de sexo são a la vonté demais, metade é totalmente desnecessária.

Dormi. Confesso. Comecei dando umas pescadas, mas o fato de não conseguir usar a tática do Renato - fecha os olhos e só fica ouvindo - colaborou (o filme é em alemão). Nada contra o cinema germânico, assisti a "Adeus, Lênin" umas sete vezes, apenas a primeira obrigada. Mas o fato de você não entender nada do que é dito sem apelar para as legendas colabora para visitar o mundo de Orfeu.

Saímos da sala (de tortura?) lá pelas seis e, dezessete horas depois, eu estava na minha cama (talvez por isso eu não tenha acordado para o GP).

Por mais que os dois primeiros filmes tenham me agradado, Partículas Elementares deu a sensação de que esse Noitão não foi dos melhores.

Aliás... deve ser bem estressante ser uma zebra (interna).

Um comentário:

Le disse...

hahaha

adorei o comentário interno! muito inesperado!!!

mas então...agora que li seu post percebi que eu tbm gostei do noitão, foi o último filme (realmente um sonífero) que me deu essa mesma sensação de que a noite não correspondeu às expectativas!

e pensando melhor, nesse noitão eu gostei dos outros dois filmes, enquanto nos anteriores eu só gostei de um dos filmes!

bom, quem sabe no próximo todos os filmes me agradam?

beijos, mandy!